Mulher que Surtou em Curitiba Será Indiciada

Da Gazeta do Povo

Emanuele Gabardo, a grávida que disparou um tiro de pistola na Praça Osório, Centro de Curitiba, na tarde de segunda-feira (4), causando o bloqueio das ruas ao redor, responderá criminalmente pelo disparo e por posse ilegal de arma de fogo. De acordo com a Polícia Militar (PM), ela deve se apresentar à Polícia Civil assim que for liberada da clínica onde foi internada para tratamento psicológico.

O coronel Jorge Costa Filho, chefe do Estado Maior do Comando de Policiamento da Capital, da PM, afirma que o procedimento é considerado normal, sem diferenças pelo fato de Emanuele ser filha de policiais militares. “Além do tratamento psicológico, ela está grávida e precisa de acompanhamento médico”, explica. “Enquanto isso, ela está sendo monitorada por policiais civis”. De acordo com o coronel, a polícia mantém contato com familiares de Emanuele, que já teriam providenciado um advogado para a apresentação da jovem.

A pistola utilizada por Emanuele durante a ameaça de suicídio, de acordo com Costa, era da mãe, a soldado Silvana Gabardo, da Central de Operações da PM (Copom). Segundo o coronel, um procedimento administrativo será aberto para apurar em que circunstâncias Emanuele tomou posse da arma. “A mãe dela não cometeu nenhum tipo de crime. Ela tem autorização legal para ter a pistola”, conta.

Além da mãe, o pai de Emanuele, capitão Mário Luiz Fonseca, também é policial militar, da Cavalaria da PM. Segundo informações de um familiar da jovem, que não quis se identificar, os pais são separados há cerca de dez anos, e a jovem vive atualmente com a mãe e o padrasto, sargento Esio Bianchini, também da PM.

De acordo com o coronel Costa, tanto o pai como a mãe da jovem tabalham há quase 25 anos na PM e jamais tiveram problemas de conduta. “Sobre problemas familiares eu não posso comentar nada, não tenho conhecimento. Mas do ponto de vista profissional, não temos nada do que reclamar”, diz.

Emanuele está grávida de cinco meses de uma menina, que deve ser batizada de Luiza. O pai da criança também seria policial militar, de acordo com a família da jovem.

Na segunda-feira (4), Emanuele mobilizou policiais civis e militares durante mais de quatro horas na Praça Osório, enquanto ameaça se matar por causa do fim de um relacionamento com seu namorado. Por volta das 20h, ela furou um bloqueio policial se chocando contra uma moto da PM. A polícia perseguiu a mulher com viaturas descaracterizadas. No final da noite ela entregou a arma para a mãe. A família seguiu diretamente para a clínica de tratamento psicológico, que não teve a localização divulgada.

Anúncios

Sobre Ronaldo
Brasil, Sul, Homem, de 35 a 40 anos, português, inglês

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: